Entrevista com Bruno Santos

Entrevista com Bruno Santos

Nessa edição do Blog Na Garage, vamos entrevistar Bruno Santos, Gerente de Gestão de Risco com Terceiros da Bernhoeft, maior empresa desse segmento no Brasil.

PERGUNTA 1

BNG: Quais os principais ganhos de realizar a Gestão de Terceiros?

BRUNO SANTOS: Sem sombra de dúvida o principal objetivo é reduzir riscos. Riscos diversos como trabalhista, previdenciário, mortes, acidentes, problemas ambientais, reputacionais e outros.

Somado a isso, quando a contratante terceiriza parte da sua operação para um fornecedor, ela precisa conhecer seus terceiros para saber quais são, quantos são, onde estão… fazer gestão mesmo.

Outro grande ganho é se antever a problemas, atuar de maneira preventiva. Todos os fornecedores dão sinais dos seus riscos e quando uma Gestão de Terceiros é feita da maneira correta, você vai conseguir monitorar os melhores indicadores que poderão gerar possíveis riscos, antes deles acontecerem.

Também há ganhos significativos para os fornecedores, afinal de contas, eles são os principais responsáveis pelos funcionários terceiros. Então na hora que sinalizamos que há algum problema com o terceiro e o fornecedor é orientado como fazer para corrigir, ele está ganhando uma consultoria para se tornar uma empresa melhor.

PERGUNTA 2

BNG: Qual a primeira dica para quem quer reduzir os riscos dos Terceiros?

BRUNO SANTOS: Defina quem é o “dono da bola”. Isso mesmo, quem será o dono do projeto na sua empresa? Se você pretende implantar uma área de Gestão de Terceiros, mas ainda não tem definido quem será o dono, certamente terá um problema de engajamento interno (áreas internas e gestores) e externo (fornecedores).  Definido quem é o responsável pelo tema internamente, o próximo passo é alinhar como será feito (equipe própria ou consultoria), quais os riscos que serão monitorados e quais fornecedores serão os primeiros a serem monitorados?

PERGUNTA 3

BNG: Fazer o controle dos riscos dos Terceiros é garantia de redução de processos Trabalhistas?

BRUNO SANTOS: Não. Sendo bem sincero, estamos no Brasil e se tem uma cultura grande de processos trabalhistas. Mas percebemos claramente uma redução do volume de processos trabalhistas e, principalmente, uma redução dos valores desembolsados em processos trabalhistas, pois os itens pedidos pelo terceiros, como Horas Extras, Férias e Rescisão podem ser facilmente comprovados com a apresentação de documentos monitorados mensalmente. Se através do controle for possível garantir que os funcionários terceiros recebam o que é de direito tempestivamente, no futuro ele não terá motivos para abrir um processo, concorda?

PERGUNTA 4

BNG: Pensando em um projeto de Gestão de Terceiros, o ideal é começar “grande” com todos os meus fornecedores?

BRUNO SANTOS: Não. O importante é começar. Se você começar grande, certamente terá um esforço muito pesado para conseguir dar resultado. Eu costumo sugerir aos clientes em implantação que comecem pequenos, filtrando fornecedores por categoria, região ou nível de risco (quantidade de processos trabalhistas, por exemplo). Dessa forma, a implantação pode ocorrer por ondas e a cada 06 meses, por exemplo, uma nova onda de fornecedores pode ser implantada.

PERGUNTA 5

BNG: Contratar uma Consultoria é suficiente?

BRUNO SANTOS: Com certeza, não. É um trabalho em parceria. Você pode contratar a melhor consultoria do mundo, mas se não estiver engajado com o projeto, a consultoria não conseguirá resolver tudo. A Consultoria não terá autonomia para refazer teus processos internos, bloquear pagamento ou encerrar contrato com o fornecedor.

A “moral” que a contratante tem com os fornecedores sempre será maior que a consultoria.

Contratar uma consultoria é o segundo grande passo, pois o primeiro é definir quem é o dono da bola.

PERGUNTA 6

BNG: Para fechar nossa entrevista, deixa uma dica para os leitores do Blog na Garage?

BRUNO SANTOS: Eu gostaria de dizer para que conheçam bem os riscos que os fornecedores trazem para a sua operação. Nos dias de hoje não faz sentido ser pego de surpresa com problemas de fornecedores quando há indicadores que podem ser monitorados para evidenciar problemas. E outra coisa, se quiser começar uma área de Gestão de Terceiros, comece rápido e comece pequeno. Você começará a colher resultados que te darão maior visibilidade internamente e outras áreas também terão interesse em incluir mais fornecedores.

Leonardo Rosa
Executivo de Supply Chain com especialização em projetos de Petróleo e Gás, projeto em MBA de Gestão de Suprimentos, Logística e Supply Chain e Mentor de Carreira para Profissionais de Compras.

ARTIGOS RELACIONADOS

spot_img

MAIS ARTIGOS

Metaverso: hype, realidade ou futuro?

Metaverso: hype, realidade ou futuro? O conceito Metaverso ganhou força na consciência coletiva em outubro...

What Does Neuromining Mean?

What Does Neuromining Mean? Neuromining is the process of applying various behavioral intelligence and machine learning...

A importância das Curvas ABC, XYZ, PQR e 123...

A importância das Curvas ABC, XYZ, PQR e 123 na Logística A gestão da Logística...

7 maneiras de usar a estratégia de compras da...

7 maneiras de usar a estratégia de compras da sua empresa para aumentar a...

Transparência nos processos de BID: lembre-se, estamos em um...

Transparência nos processos de BID: lembre-se, estamos em um jogo infinito! Quem nunca se deparou...

Gestão de riscos de contratos de serviços

Gestão de riscos de contratos de serviços A gestão de riscos de contratos é um...

MAIS ACESSADOS

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui