Protagonista ou Coadjuvante – Qual o papel de Suprimentos na Inovação?

Protagonista ou Coadjuvante – Qual o papel de Suprimentos na Inovação?

No mundo artístico,  protagonista é o ator ou atriz que representa o papel mais importante numa peça, novela, filme, já o coadjuvante desempenha um papel secundário.

No âmbito empresarial, a pessoa ou área que possui um papel relevante de destaque numa situação ou acontecimento, é o protagonista de tal feito..

Vocês devem estar se perguntando, mas o que isso tudo tem haver com Inovação? Vamos Refletir:

Qual o departamento que detém o conhecimento de mercado?

Qual departamento pode influenciar diretamente no custo final de um produto ou até mesmo aumentar a receita de uma empresa através da redução de custos?

Qual é a porta de entrada dentro das empresas para soluções de mercado?

Se a sua resposta foi Suprimentos, sim você está correto!

No mundo VUCA¹, cheio de incertezas, volátil, complexo e ambiguo e em constante transformação, o departamento de Suprimentos tem duas opções:

  • Esperar que outros departamentos inovem e só tragam o processo final para ser contratado; ou;
  • Ser protagonista nessa mudança, atuando como catalizador entre os desafios internos e soluções inovadoras de mercado.

Quem melhor do que um profissional de Suprimentos para dialogar com o mercado, conhecer e mapear as novas soluções e finalmente conectar a “dor com o remédio”?

Claro que lidar com o mercado ainda em desenvolvimento requer uma mudança de mindset, cultura e também processos. Quando lidamos com start-ups sabemos que não teremos os 3 últimos balanços patrimoniais, portfolio vasto de clientes, track-record e muitos outros requisitos para se tornar o tão sonhado “Fornecedor”.

Em uma companhia, o departamento de Compras conhece melhor do que ninguém os processos internos, e também o que precisa ser modificado ou adaptado para lidar com essa nova geração de empresas.

A start-up gostaria de ter a experiência e “cabelos brancos” das empresas grandes e as empresas grandes a “agilidade” das start-ups – o segredo está em conciliar esses dois mundos!

Por isso as empresas precisam estar atentas ao que está acontecendo fora dos seus portões.

Empresas e profissionais que estão somente restritos a demandas de ontem, estão fadados a deixar de existir nas próximas décadas.

Agora a pergunta que sempre recebo é: O que é preciso para Inovar dentro da empresa?

Eu resumiria a uma palavra: Adaptabilidade.

Adaptabilidade é a capacidade que um indivíduo ou empresa tem de se adaptar, de acordo com as necessidades, situações e circunstâncias.

Portanto, adaptação e transformação necessárias só acontecerão se a empresa estiver disposta a se moldar a um novo modelo de negócio, estimulando a criatividade, a inovação e novas formas de pensar e fazer negócio.

Em uma demanda tradicional de aquisições: o departamento de compras recebe a demanda por um determinado bem ou serviço, acessa o mercado, negocia, emite um contrato e/ou ordem de compra e recebemos ao fim o bem ou serviço adquirido.

Em um processo de Inovação, o usuário ainda não sabe qual o bem ou serviço ele precisa – ele tem uma “dor” que precisa ser resolvida.

Com isso, um processo de Inovação requer uma mudança conceitual onde o departamento de Suprimentos junto com áreas de inovação, engenharia, comercial, etc – irão mapear as principais “dores” da sua operação.

Após entender e priorizar as maiores “dores”, aí sim é hora de acessar o mercado – lançando o “desafio”  que irá trazer diferentes tipos de soluções.  Estas deverão ser classificadas, avaliadas tecnnicamente e finalmente temos a Contratação!

Que tal um exemplo prático?

Em uma compra tradicional: Você é comprador de uma empresa e recebe a demanda de comprar X Canetas do modelo Y e da cor Z.

Em um processo de Inovação: O seu cliente definirá a “dor/desafio” dele para escrever, como por exemplo: escrever relatórios de forma célere e menos manual possível.

No primeiro caso, iríamos simplesmente atrás da caneta especificada conforme descrição. No segundo caso, lançaríamos o “desafio” para o mercado informar o que eles tem de solução: poderíamos receber soluções como:

  • softwares que transcrevem o que é dito conectado ao E-CPF tornando o documento válido em todo território nacional;
  • um tablet eliminando a necessidade de uso de papel e com isso reduzindo todo o efeito cadeia (papeis, correio, impressões, etc);
  • entre outras idéias criativas.

Como podem perceber, temos um processo reverso de Contratação, partindo de uma “dor” do usuário as “diversas soluções inovadoras” de mercado, sendo Suprimentos o responsável por conectar desafios a soluções de mercado.

Qual a oportunidade nesse novo modelo?

Primeiramente, Inovação não é sobre Novidade e sim sobre implementar algo que ainda não foi testado na sua organização antes e com isso gerar ganho de eficiência, sustentabilidade e redução de custos!

Muitas soluções caem no “vale da morte” porque simplesmente não conseguem vencer a barreira entre o piloto e a escalabilidade do bem ou serviço. Na maioria das vezes, essas demandas nascem de iniciativas na área de pesquisa e desenvolvimento ou são contratadas através de um processo não competitivo e acabam morrendo após o teste piloto.

Como mudar esse trend? Trazendo Suprimentos para dentro da equação!

Claro que colaboração é palavra de ordem no mundo dos Inovadores e para isso, Suprimentos precisa estar alinhado ao objetivo corporativo, junto com áreas especializadas como: Inovação, Engenharia de produto, área técnical, comercial – vai depender do seu ramo de atuação, sempre resguardando o Compliance e assegurando um processo transparente e competitivo – porém upsidedown!

Fato é que no final do dia, seja start-up ou empresa grande precisará de um instrumento contratual, negociação, monitoramento que só pode ser feito pela área de Suprimentos.

Então se você, profissional de Compras ainda está se perguntando o que fazer: meu conselho é:

Seja o Protagonista da Inovação dentro da sua empresa e assuma um papel relevante de destaque nessa transformação – sucesso do passado, não é sucesso para o futuro!

 

Ariane Carvalho
Ariane Carvalho is an experience Procurement professional and worked in relevant companies during her carrier in the Energy sector. Graduated in Business Administration from Universidade Federal Fluminense and holds Executive MBA in Project management at Ibmec Business School.  

ARTIGOS RELACIONADOS

spot_img

MAIS ARTIGOS

7 passos para se ter sucesso no Strategic Sourcing

7 passos para se ter sucesso no Strategic Sourcing Como você desenvolve e nutre parcerias...

Qual a diferença entre TOTAL COST OF OWNERSHIP e...

Qual a diferença entre TOTAL COST OF OWNERSHIP e COST BREAKDOWN? TOTAL COST OF OWNERSHIP...

Quer tirar ideias do papel profissional de Compras? Conheça...

Quer tirar ideias do papel profissional de Compras? Conheça os métodos de Elon Musk! Quer...

As competências essenciais do comprador estratégico – Gestão do...

As competências essenciais do comprador estratégico - Gestão do Tempo No artigo anterior, Comprador Estratégico...

COMPRAS – Uma das áreas mais estratégicas da sua...

COMPRAS – Uma das áreas mais estratégicas da sua empresa! Compras ou Suprimentos, mais conhecidos...

Procurement e Purchasing – Quais são as diferenças?

Saiba por que Procurement e Purchasing não são a mesma coisa e como suas...

MAIS ACESSADOS

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui