A profissão “Comprador(a)”​ vai acabar em 24 meses!

A profissão “Comprador(a)”​ vai acabar em 24 meses!

Até que ponto a frase do Sócrates é válida para o ChatGPT? “Os inteligentes aprendem de tudo e de todos. Os de inteligência mediana aprendem de suas experiências. Os estúpidos já têm todas as respostas”.

Já te adianto que me assustei quando descobri que programas como: Plagium, Spider ou Copy, simplesmente não pegam o texto gerado pelo ChatGPT! Que essa informação não chegue até os universitários.

O site administradores.com lançou um “experimento” esse mês, que baseado na utilização do ChatGPT, eles listaram 80 profissões que podem desaparecer em até 5 anos com a utilização da inteligência artificial.

E advinha quem estava nessa lista? Sim, o comprador. Segundo o site, o prazo para que a profissão comprador acabe são de 24 meses.

Link da matéria: 80 profissões quem podem desaparecer nos próximos 5 anos (administradores.com.br).

A figura do comprador dentro de uma empresa sempre existiu. Talvez, antigamente não existia uma pessoa dedicada 100% as funções que estão envolvidas na área de compras, ou, se existia, essa na verdade não era reconhecida ou recebia a devida importância das suas ações nas operações.

Afinal de contas, não é apenas comprar e a gente sabe disso né?

13 anos atrás quando eu comecei as atividades na área de compras, tudo era quase 100% manual.

Requisições de compras feitas e preenchidas a mão, cotação recebida por e-mail e impressa para assinatura e envio ao fornecedor por fax ou escaneadas, minutas de contratos digitalizadas individualmente baseadas nas cotações, assinadas em 4 vias, arquivadas em um espaço físico dentro da empresa e a do fornecedor ia via malote.

Os inventário? Controlados em papel e prancheta, contagem e recontagem manual e alimentados em uma planilha de Excel, que era torcer para não ficar muito pesado ou se corromper com o tempo.

Hoje o cenário é diferente. A tecnologia possibilitou a chegada de softwares de sourcing e gestão de fornecedores, formalização da compra de forma online, minutas geradas automaticamente em sistemas com base nas informações imputadas, com assinaturas eletrônicas e o arquivamento direto na nuvem.

Uma cópia do documento sempre chega por e-mail e você tem acesso com um click. A contagem de estoques agora são feitas por ERPs e suas análises e estratégias montadas baseadas nos indicadores (esses também gerados de forma automática), que se transformam em dashboards interativos e coloridos.

Vamos pensar mais um pouquinho: Uma demanda urgente, que precisa ser fechada até o final do dia.

E empresa não tem compradores e utiliza apenas uma inteligência artificial para esse operação.

Existem parametrizações para demandas urgentes, que o sistema envia para o mercado a requisição assim que recebe e tem um SLA de 5 minutos para emitir a PO assim que recebe as cotações, analisa a de melhor preço, condição de pagamento e lead time.

PO emitida, o fornecedor da o “OK” e já inicia o processo de envio.

Uma cópia dessa PO é enviada automaticamente para o requisitante e ele se torna responsável pelo acompanhamento dessa demanda. Fim! Que lindo cenário.

Primeira análise

Sem pensar nas ondas de layoffs e demissões naturais das empresas para reestruturações de áreas e operações, eu quero saber: A tecnologia substituiu algum comprador nesse tempo? A resposta é sim.

Percebe que essas funções que foram automatizadas já são feitas dessa mesma forma por alguns profissionais?

Aquele que segue o script e roteiro e sempre atende a demanda. Certeza que você conhece alguém assim ou já foi assim.

O comprador que se limitou a fazer apenas a parte operacional das sua funções já foi substituído a muito tempo.

Na verdade ele pode ser substituído a qualquer momento. Não vamos precisar de 24 meses ou 5 anos.

Ele é facilmente substituível. Na verdade, hoje em dia, dificilmente ele até entra no mercado. E se tiver a sorte de entrar, não se sustenta.

Mas vamos para um segundo cenário

  • E se nesse meio tempo, não surgir nenhuma cotação?
  • E se uma das cotações estiver considerando um item diferentes e o sistema não identificar?
  • E se essa identificação acontecer apenas quando o requisitante receber uma cópia da PO?
  • E se o fornecedor não entregar no prazo e não entrar em contato? E se o material for entregue em um local diferente?
  • E se o documento fiscal emitido tiver algum erro?
  • E se acontecer algum problema em que o sistema encerre a demanda antes dela ser realmente finalizada?
  • E se no processo de sourcing tiver uma alteração de escopo?

Percebe a necessidade de ter uma figura para atuar nessas funções?

Percebe que na verdade essas funções já fazem parte do nosso dia a dia e as vezes mesmo tendo um responsável ainda assim dá errado?

A tecnologia e/ou inteligência artificial sozinha é vaga. Sem que tenha a sensibilidade humana ela é falha.

O chamado comprador do futuro ou estratégico, como você quiser identificar, fica e cresce junto com a tecnologia.

Ele permite que sistemas e softwares façam toda parte operacional, mas segue nas análises críticas, gestão de melhorias e controles.

Ele utiliza a inteligência artificial para potencializar os pontos que antes não conseguia fazer por falta de tempo ou até de domínio.

O futuro de Compras é tecnológico e não vai dar para fugir disso. Se você se limitou apenas as partes operacionais, eu sinto muito em te dizer, mas sua função tem realmente um prazo de validade e esse está cada dia mais curto.

Mas se você é aquele que entendeu que compras vai além da formalização de um pedido e/ou contrato, tem a sensibilidade de analisar a criticidade de cada demanda e fazer a atuação necessária, saiu da regra de 3 cotações e começou a desenvolver parceiros e não apenas fornecedores, ama um dashboard, mas, ama mais ainda as informações que ele te possibilidade para a criação de estratégias e tomadas de decisão, estreitou o relacionamento com seus clientes internos a ponto deles consultarem as informações de sistema, mas, preferirem ouvir de você uma análise, entendeu o papel do comprador como elo de junção de todos os setores envolvidos em uma operação, descobriu os impactos sociais e ambientais que sua profissão pode possibilitar na era ESG, aprendeu sobre todas as tecnologias, mas, não abriu mão do telefonema para algo urgente e importante.

Sinto muito (amor e alegria) em te dizer, mas, você aprendeu certinho e jamais será substituído.

E como nada na vida, mesmo que a gente queira, é garantido… Se chegar o momento de você ser substituído na sua função, esse jamais será o fim da sua carreira.

Um comprador que entender o seu papel de atuação, é uma das ferramentas mais estratégicas para uma empresa.

E por ter conhecimento em diferentes áreas, ele pode inclusive decidir não atuar mais em compras.

Sem medo nenhum, vamos em rumo ao futuro! 🚀

Website | + posts
spot_imgspot_img

Receber Newsletter

Artigos Relacionados

Inovação aberta em compras: a importância da colaboração e parcerias estratégicas

Inovação aberta em compras: a importância da colaboração e...

Soft Skills: A Diferença Entre Estagnação e Realização

Soft Skills: A Diferença Entre Estagnação e Realização Eu tenho...

A importância do Compliance em Compras

A importância do Compliance em Compras Antes de iniciar esta...

Os Desafios na Coordenação e Gerenciamento de Equipes de Compras!

Os Desafios na Coordenação e Gerenciamento de Equipes de...
spot_imgspot_img

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui