As 6 Forças do PESTAL: o que é, para o que serve e como deve ser aplicada 

As 6 Forças do PESTAL: o que é, para o que serve e como deve ser aplicada 

Em Procurement e Supply Chain, as ameaças e oportunidades podem estar em todos os lados.

E das mais variadas maneiras como atualização de tecnologias, políticas governamentais, crises sanitárias e inserção de novos concorrentes. 

Nesse caso, a análise PESTAL torna-se uma ferramenta analítica muito útil e prática para identificar as forças externas que podem impactar o desempenho de empresas de todos os portes dentro de uma cadeia de suprimentos. 

Ela pode ser aplicada para mapear todos os fatores presentes no ecossistema em que uma companhia está inserida e viabilizar que sua governança tenha acesso a informações importantes para a tomada de decisões e, assim, elevar seu desempenho estratégico.

É uma metodologia excelente também para ser aplicada na fase inicial de implantação de um novo negócio ou para entrar num determinado segmento do mercado, pois ajuda a trazer uma visão mais macro das ameaças e oportunidades a que uma empresa pode estar exposta. 

Originalmente a sigla era apenas PEST, que significa Política (P), Economia (E), Social (S) e Tecnologia (T), ou seja, os elementos externos que devem ser considerados na análise.

Em uma releitura ao longo do tempo ganhou mais duas letras: Ambiental (A) e Legal (L). Ou seja, pode ser que você ouça sobre ela de duas formas, PEST ou PESTAL. 

Análise PESTAL - As 6 forças
Análise PESTAL – As 6 forças

Para aplicá-la, o primeiro passo é fazer um brainstorming de cada um dos pontos-chaves representados em cada “letra” para obter um direcionamento na avaliação de estratégias e dos melhores caminhos a serem seguidos.

Essa é uma metodologia que você pode fazer isoladamente por meio de pesquisas, mas ganha mais valor quando é realizada em grupo.

Dessa maneira você garante um leque maior de informações para planejar os próximos passos.

Fatores políticos

As empresas precisam de estabilidade política para operar, caso contrário podem deixar de alcançar a rentabilidade e lucratividade planejada.

A análise dos fatores políticos é o ponto de partida da Análise PESTAL, pois são essenciais para avaliar o potencial ou os riscos de um mercado.

Por fatores políticos, nos referimos a novas políticas governamentais, legislações trabalhistas, restrições comerciais, questões tributárias, regulamentações de comércio exterior, eleições, guerras mundiais, entre outros.

Fatores econômicos

Uma série de aspectos econômicos podem ter um impacto direto sobre a rentabilidade de uma organização.

Podem ser divididos em duas categorias: macroeconômicos e microeconômicos.

Os microeconômicos são os que contemplam as condições gerais de oferta e demanda na economia e os que geram, por exemplo, a falta de interesse do mercado em um item específico.

Os fatores microeconômicos são aqueles relacionados com a individualidade e o comportamento dos consumidores.

É o caso de momentos em que a economia de uma região prospera e há um aumento de renda do público alvo de uma empresa, o que pode proporcionar melhores condições de lucro.

Fatores sociais

O ambiente social em que uma organização está localizada está intrinsecamente conectada com seus negócios.

Nesta parte da Análise PESTAL podem ser consideradas, por exemplo, as influências culturais, percepções e crenças dos seus consumidores como uma campanha publicitária que possa causar um dano na reputação de sua marca. 

Vale considerar tendências populacionais, crescimento demográfico, nível educacional, oferta regional de profissionais, distribuição etária e diversas outras questões sociais.

Fatores tecnológicos

Todas as áreas da empresa podem ser afetadas pela tecnologia, desde a linha de produção até a distribuição e a logística.

São fatores que podem tanto gerar oportunidades como ameaças, por isso devem ser frequentemente observados.

Para isso, é interessante estar atento, por exemplo, se há novidades tecnológicas disponíveis para automatizar os processos, inovações que precisam ser implementadas ou mesmo se concorrentes estão utilizando soluções mais avançadas que resultam em competitividade.

Neste tópico, uma dica é também avaliar a necessidade de investir em pesquisa e desenvolvimento de novos produtos e serviços.

Fatores ambientais

Em tempos de ESG, avaliar a influência do meio ambiente e o impacto dos aspectos ecológicos no dia a dia da operação de uma empresa tornou-se mandatório.

Aqui vale destacar se há presença de processos de reciclagem, pegada de carbono, eliminação de resíduos, uso de energias renováveis e soluções de sustentabilidade que possam ser positivos para os negócios.

Aspectos como tempo, clima, mudanças climáticas e queimadas em florestas que podem impactar também alguns mercados e devem ser relacionados na Análise PESTAL, pois podem afetar a operação e a oferta de produtos em uma cadeia de suprimentos.

Fatores legais

Fatores legais também são relevantes na Análise PESTAL, pois abordam questões que influenciam na segurança dos produtos, nos direitos do consumidor e uma diversidade de legislações voltadas para igualdade de oportunidades, antitruste, gestão trabalhista, direitos autorais, patentes, segurança alimentar etc. 

A análise dos fatores da PESTAL

Após relacionar cada um dos aspectos que compõem a Análise PESTAL, cabe avaliar cada informação e ponderar as que representam de fato oportunidades ou ameaças para sua empresa. 

Com isso, ferramenta serve para:

  • Detectar oportunidades;
  • Mapear ameaças significativas que podem interferir no planejamento;
  • Desenvolver uma visão mais objetiva do ambiente em que a organização está inserida;
  • Apoiar nas tomadas de decisão, fornecendo uma ampla compreensão do que está ocorrendo no mercado;
  • Aumentar o tempo de reação e tomada de decisão frente a eventuais riscos externos

Agora, uma dica final importante: a Análise PESTAL proporciona a visão externa da empresa, mas como fica a visão interna?

A recomendação para isso é que ela seja utilizada em conjunto com outras ferramentas como a Análise SWOT ou as Cinco Forças de Porter.

Fique de olho nos treinamentos da PG e aprenda mais sobre as ferramentas e soluções mais adequadas às necessidades da sua empresa.

Fontes

 

+55 11 4040-7391 | comercial@procurementgarage.com | Website | + posts

A Procurement Garage (PG) é uma consultoria que possui mais de 30 anos de expertise nas áreas de Procurement, Supply Chain e Logística.

Estamos empenhados em te ajudar a reduzir drasticamente as tarefas operacionais e melhorar a experiência nas interações com os fornecedores, stakeholders e liderança junto ao time de Suprimentos.

spot_imgspot_img

Receber Newsletter

Artigos Relacionados

spot_imgspot_img
Procurement Garage
Procurement Garagehttps://procurementgarage.com/
A Procurement Garage (PG) é uma consultoria que possui mais de 30 anos de expertise nas áreas de Procurement, Supply Chain e Logística. Estamos empenhados em te ajudar a reduzir drasticamente as tarefas operacionais e melhorar a experiência nas interações com os fornecedores, stakeholders e liderança junto ao time de Suprimentos.

1 COMENTÁRIO

  1. Parabéns pelo excelente e esclarecedor artigo sobre um tema de grande importância para uma estratégia de suprimentos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui