Entrevista com Marcus Magalhães

Entrevista com Marcus Magalhães – Diretor de Compras

PERGUNTA 1

Blog na Garage: Marcus, sua trajetória na área de Compras é realmente muito inspiradora, pode contar um pouco sobre o seu desenvolvimento, formação e experiência inesquecíveis?

Marcus Magalhães: Sou graduado em Engenharia de Produção pela Universidade de Itaúna e pós-graduado em Logística pela Fundação Getúlio Vargas.

Já completo quase 15 anos de experiência na área de Compras/Suprimentos em multinacionais de siderurgia e refratários, onde tive o privilégio de trabalhar em projetos desafiadores na América do Sul e globais.

Durante estes anos tive várias experiências inesquecíveis: projeto estratégico em Compras e de transformação cultural em um processo de fusão e aquisição (M&A); expatriação para Holanda e atuar em uma posição global de Compras; condução de projetos relacionados à agenda ESG, junto aos fornecedores implementação da ferramenta Ecovadis e um robusto sistema de qualificação, avaliação e gestão de fornecedores; definição do planejamento estratégico regional da área de Compras, alinhando-o com o planejamento global da empresa.

PERGUNTA 2

Blog Na Garage: Diante de sua vasta experiência, como você enxerga a importância da adaptabilidade e reinvenção pessoal, especialmente em momentos de transição de carreira, como o que você está vivenciando atualmente?

Marcus Magalhães: Sem dúvida, a adaptabilidade é fundamental em qualquer trajetória profissional. Vivenciar uma transição de carreira atualmente me permitiu entender ainda mais a importância de permanecer aberto a novas oportunidades e desafios. Acredito que cada etapa da nossa carreira é uma chance de aprendizado e crescimento.

Nesse momento, estou animado para explorar novos horizontes e contribuir com minha expertise em Procurement de maneiras inovadoras.

A transição me deu a oportunidade de refletir sobre meus pontos fortes, interesses e como posso aplicá-los em diferentes contextos. Estou comprometido em continuar a agregar valor, seja por meio do gerenciamento estratégico de suprimentos ou em outras áreas onde minha experiência pode se destacar.

Acredito que a reinvenção pessoal é uma parte natural de uma carreira bem-sucedida. Estou ansioso para embarcar nessa jornada e ver onde ela me levará. Sei que, com determinação e uma abordagem orientada para o aprendizado contínuo, as oportunidades certamente surgirão.

PERGUNTA 3

Blog Na Garage: A carreira profissional não permite que etapas sejam negligenciadas. A vivência adquirida em cada fase é fundamental na construção de um comprador de sucesso. Entretanto, é necessário estar atento a oportunidades e pronto para novos desafios. O que você diria para um Comprador no início de carreira?

Marcus Magalhães: Durante minha experiência, e até pela forma como as oportunidades e desafios foram surgindo, sempre ficou muito claro para mim que o comprador deve cada vez mais se interessar pelo negócio e processo na qual ele está inserido.

É importante que ele entenda o contexto macro econômico, os principais fornecedores, principais categorias e seus respectivos stakeholders, de forma a identificar oportunidades, contribuições e inovação para o processo.

Por mais que a área de Compras seja impactada por uma rotina volumosa de itens, pedidos e urgências, é importante este olhar estratégico para as principais categorias, e através do conhecimento do processo e negócio, entender como elas impactam no resultado final da organização.

Pode parecer inicialmente complicado este exercício, mas a partir do momento que se utiliza ferramentas de gestão, seja do próprio tempo, e bem como de gestão de categorias e de fornecedores, torna-se um processo fluído e contínuo, onde ameniza a rotina e transforma a interação com stakeholders.

 PERGUNTA 4

Blog Na Garage: E por falar em desafios e oportunidades, como foi liderar projetos de fusões e aquisições (M&A) em diferentes países?

Marcus Magalhães: Foi uma experiência desafiadora e incrível. Neste processo tive a oportunidade de atuar em duas frentes: projeto estratégico em Compras, onde foi necessário mapear as principais categorias, volumes, contratos e fornecedores de ambas as empresas; entender o contexto regional e global; e definir, em conjunto com o grupo de trabalho, a estratégia de negociação.

A área de Compras possui um papel fundamental nos processos de M&A uma vez que se trata de uma oportunidade de definição e revisão de estratégia juntos aos fornecedores, com o intuito de não só identificar oportunidades de savings, mas também gerar parcerias sustentáveis e identificar oportunidades de otimização e inovação nos processos.

A outra frente em que tive a oportunidade de participar foi a de transformação cultural, onde foram selecionadas algumas pessoas, globalmente, e recebemos um treinamento sobre a nova cultura organização da nova empresa.

Através deste treinamento, recebemos a missão de cascatear os conceitos da nova cultura com os demais colaboradores das respectivas regionais, e o mais impressionante deste processo foi poder ver de perto e participar do processo de início de uma nova cultura, que embora trouxesse e reforçasse diversos valores já existentes, exigia uma mudança de mindset e comportamental importante para o planejamento estratégico desta nova empresa.

Foi um processo em que tive a oportunidade de conhecer muitas pessoas, gerar novas conexões, reforçar conexões, além de conhecer ainda mais sobre o processo e o negócio da organização, além de visualizar a diversidade de uma organização e como ela é importante para todo este processo de transformação.

PERGUNTA 5

Blog Na Garage: Negociação é uma das habilidades fundamentais para qualquer Profissional de Supply Chain, e dependendo do contexto, culturas e valores, é necessário uma preparação e planejamento diferenciado para se conquistar os objetivos esperados pela empresa. Quais lições você pode compartilhar com a gente sobre Negociação?

Marcus Magalhães: Costumo dizer que a etapa de planejamento e preparação para um negociação, além de ser o mais importante, é a etapa que definirá o sucesso ou não de todo o processo.

Durante minha jornada tive a oportunidade de participar e conduzir diversos processos de negociação, desde categorias de menor valor e menos estratégicas, até grandes projetos de Capex e categorias estratégicas como Matérias-primas e Energéticos.

E para ambos, a etapa de planejamento e preparação tem importante papel, sendo calibrado e diferenciado apenas pelo tempo dedicado a ela. Porém isso dependerá muito da qualidade e acuracidade dos dados envolvidos.

Quanto mais maduro e completo for a metodologia de gestão de categorias, maior controle e gestão dos dados, o que permite uma real visão dos cenários, do mercado, dos índices e dos fornecedores.

E com isso, para categorias de menor impacto, através da visão clara dos dados, a etapa de planejamento tende a ser mais rápida, e com o foco na execução e conclusão, são categorias que uma vez concluídas as negociações tendem a reduzir o volume operacional do comprador.

Já as categorias estratégicas, além de reforçarem e exigirem a gestão dos dados, também exigem um tempo maior para este planejamento.

E outro aprendizado muito positivo que tive em minha carreira, é quando você consegue inserir os principais stakeholders das respectivas categorias neste processo, uma vez que através da visão deles, conseguimos trazer para o processo de negociações as reais necessidades do processo e expectativas dos clientes internos.

Esta interação favorece muito o resultado da negociação, garantindo a aderência deste resultado ao negócio, além de gerar uma maior e melhor conexão da área de Compras com as demais áreas.

PERGUNTA 6

Blog Na Garage: Vamos falar de Strategic Sourcing? Apesar da metodologia de Strategic Sourcing estar completando 30 anos, como você tem visto a aderência das empresa brasileiras a uma abordagem mais estratégica do que meramente operacional na contratação de serviços e aquisição de materiais?

Marcus Magalhães: Com certeza. Cada vez mais as organizações têm percebido a área de Compras como uma área estratégica e que deve estar cada vez mais integrada ao negócio e à tomada de decisão.

Já passamos por períodos em que a área de compras era vista apenas como uma área operacional e que não agregava valor, onde decisões eram tomadas por demais áreas sem o devido envolvimento de Compras.

E esta mudança na percepção de valor da área favorece e potencializa os resultados da metodologia Strategic Sourcing, uma vez que garante que o planejamento e as ações definidas através da metodologia estejam alinhados com o negócio, com o cliente interno e com a expectativa de resultado final.

Este empoderamento  da área de Compras, exige ao mesmo tempo uma melhor organização da área de forma que o time seja orientado e alinhado ao resultado, que ao definirem os passos da metodologia Strategic Sourcing, possam considerar todos os possíveis cenários e resultados.

E neste processo, volto a reforçar a importância de aliar à esta metodologia, a gestão de categorias, de forma que a estratégia a ser adotada possa estar alinhada ao respectivo grau estratégico da categoria, e assim calibrar os esforços e tempo dentro da metodologia Strategic Sourcing.

PERGUNTA 7

Blog na Garage: Com a chegada da Quarta Revolução Industrial, a chamada Indústria 4.0, onde tecnologias como a Inteligência Artificial vêm ocupando cada vez mais espaço nas organizações. Você tem percebido esse crescimento dentro de Supply Chain? Quais os benefícios esperados no curto prazo?

Marcus Magalhães: Tenho percebido sim este movimento crescente da pauta dentro da área de Supply Chain. Já há alguns anos a pauta Indústria 4.0 tem sido convertida e adaptada para a pauta Procurement 4.0, e em como a área de Procurement pode ser cada vez mais ágil, estratégica e inovadora dentro das organizações.

E acredito que este movimento está alinhado e vem sendo cada vez mais reforçado juntamente com o movimento de empoderamento da área de Procurement nas organizações, pois isso favorece que a área receba recursos para investimento em novas tecnologias e inovação no processo.

Os benefícios destes investimentos permeam em: maior agilidade no processo, melhorando assim os SLA de atendimento e aquisição; uma melhor gestão de dados e informações; melhor gestão e otimização da carteira de fornecedores; maior transparência do processo para o cliente interno, onde conseguem inclusive visualizar e entender os passos do processo de aquisição; maior compliance do processo através da transparência e segurança dos processos; agilidade na tomada de decisão; melhor gestão do tempo dos compradores, fazendo que tenham mais disponibilidade para focar no estratégico.

PERGUNTA 8

Blog Na Garage: Outro conceito que vem tomando espaço nas empresas é o ESG (Environmental, Social and Corporate Governance) onde Compras tem relação direta com a implantação e manutenção dos seus princípios junto ao mercado fornecedor.

O que o Profissional de Compras deve fazer para se adaptar a essa realidade e trazer bons frutos para sua carreira?

Marcus Magalhães: Acredito que a primeira reflexão a ser feita é entender que a agenda ESG é uma realidade e é necessária em todas as organizações, independente do porte, e em todas as áreas.

E a área de Compras tem um importante papel em fazer com que esta agenda seja aplicada em toda a cadeia, através da inclusão dos fornecedores na pauta.

Esta inclusão precisa estar conectada á estratégia da organização e deve ser cada vez mais um pré requisito para entrada de novos fornecedores, e bem como manutenção dos fornecedores atuais.

Por isso é importante que os princípios de ESG sejam adotados e observados durante todo o processo de aquisição, deste a definição da lista de fornecedores, até a decisão final de processo de concorrência, e para isso o profissional de compras precisa estar inteirado e alinhado com a agenda ESG da organização, qual é a estratégica, quais são os resultados esperados, e como eles podem ser convertidos e aplicados aos fornecedores.

Este alinhamento da estratégia ESG com cada processo de negociação a ser realizado é crucial para que possamos de fato implementar e incorporar os fornecedores na pauta e fazer dela uma realidade e não somente um desejo.

PERGUNTA 9

Blog Na Garage: Outro assunto em vigor é Inclusão & Diversidade. Essa tem sido uma questão disruptiva nas relações pessoais dentro das empresas e também nas abordagens com o mercado fornecedor.

Você acredita que o Comprador pode contribuir com esse valor tão importante nos dias de hoje? Como?

Marcus Magalhães: Ao se falar de Inclusão & Diversidade gosto sempre de reforçar que este assunto é de todos e para todos! Todos colaboradores podem e devem contribuir para esta pauta.

E trazendo para a realidade de Comprador, é importante que ele seja um agente de promoção e execução da pauta junto aos fornecedores, de forma que toda a cadeia esteja inserida na pauta e trabalhando juntos para que de fato tenhamos ambientes mais inclusivos e diversos.

E este trabalho junto aos fornecedores pode ser feito de várias formas: importante que os fornecedores sejam informados e estejam cientes da política de diversidade da organização; este ponto deve ser parte integrante dos códigos de conduta das organizações que normalmente são compartilhado com os fornecedores; e não só estarem cientes, os fornecedores, principalmente aqueles que possuem mão de obra alocadas dentro das operações, precisam praticar os valores de diversidade internos; que o fornecedor seja uma grande e importante fonte de boas práticas, de forma que possamos também aprender com eles sobre iniciativas e prática D&I.

 

PERGUNTA 10

Blog Na Garage: Para concluir nossa entrevista, que dicas você pode deixar para os leitores do Blog Na Garage para que possam ter sucesso na carreira em Compras, Logística e Supply Chain?

Marcus Magalhães: Eu sinceramente indico a todos, principalmente aqueles que se identificam e são apaixonados pela área de Compras, que sempre se sintam e vejam como parte integrantes e estratégicos das organizações.

Cada vez mais que este pensamento como estratégico e parte do processo se fizer presente nas organizações, mas a área de Compras poderá agregar valor ao negócio, mais será reconhecida como tal pelos stakeholders, e mais as organizações visualizaram os resultados gerados pela área de Compras.

Temos um importantíssimo papel em otimizar os investimentos da organização junto aos fornecedores, não só no aspecto dos savings, que são muito importantes, mas também na extensão da estratégia junto aos fornecedores, fazendo com que todo o ecossistema construa uma cadeia de valor, prezando pela sustentabilidade e diversidade.

E quanto mais a área de Compras e seus profissionais estão inseridos no processo, se preocupam e se interessam pelo processo, mais podemos contribuir, otimizar e inovar. Embora não sejamos a área que capta a receita de forma direta, somos uma das importantes áreas que contribui para a rentabilidade da organização e do negócio.

Mentor de Carreira para Profissionais de Compras | + posts

Executivo de Supply Chain com especialização em projetos de Petróleo e Gás, projeto em MBA de Gestão de Suprimentos, Logística e Supply Chain e Mentor de Carreira para Profissionais de Compras.

spot_imgspot_img

Receber Newsletter

Artigos Relacionados

Entrevista com Ramon Farias

Entrevista com Ramon Farias O Blog na Garage entrevistou o...

Recursos Humanos e a Evolução do ESG

Recursos Humanos e a Evolução do ESG Você já se...

Não economize em sua carreira

Não economize em sua carreira Profissional de compras, o ano...

A Importância Vital de um CPO para o Sucesso em Procurement

A Importância Vital de um CPO para o Sucesso...
spot_imgspot_img
Leonardo Rosa
Leonardo Rosa
Executivo de Supply Chain com especialização em projetos de Petróleo e Gás, projeto em MBA de Gestão de Suprimentos, Logística e Supply Chain e Mentor de Carreira para Profissionais de Compras.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui