Mapa Comparativo de Propostas

Mapa Comparativo de Propostas

Comparar propostas de fornecedores é uma etapa extremamente crítica no processo de compras.

Para fazer isso de forma eficaz, seguem algumas etapas importantes: Inicialmente estabeleça critérios de avaliação bem claros.

1 – Antes de receber propostas, defina os critérios pelos quais você irá avaliá-las

Esses critérios devem estar alinhados com os objetivos e prioridades da sua organização e ter seus respectivos pesos e naturalmente que esses critérios mudam de acordo com a categoria e estratégia.

2 – Examine cuidadosamente os documentos da proposta técnica e comercial de cada fornecedor

Procure clareza e adesão às instruções de sua RFP. A técnica deve ser avaliada pelo cliente interno requisitante.

Quaisquer desvios entre as propostas nessa fase devem ser equalizadas com os fornecedores.

3 – Compare as propostas com atenção por linha de custos de cada fornecedor

Essa atividade pode ser automatizada como todo o processo de sourcing através de um e-Procurement e planilhas dinâmicas e com VBA.

Certifique-se de que todos os custos, incluindo os impostos, frete, se é FOB ou CIF, preço inicial, e todo TCO e possíveis custos ocultos, sejam considerados.

Tenha cuidado com propostas significativamente inferiores a outras, pois podem indicar preocupações de qualidade ou capacidade de atendimento.

4 – Avalie e pesquise a reputação de cada fornecedor

Peça referência de clientes, cases de sucesso e expertise.

Considere seu histórico e se eles têm experiência em projetos e no setor e ou semelhantes.

5 – As especificações técnicas devem ser avaliadas pelo cliente interno requisitante e outras áreas envolvidas

Preste atenção a quaisquer soluções inovadoras ou únicas que possam agregar
valor.

6 – Garanta que os fornecedores cumpram todos os requisitos legais, compliance, regulamentares, licenças e certificações

Revise os termos e condições do contrato, incluindo garantias e acordos de
nível de serviço (SLAs).

7 – Escalabilidade e flexibilidade, avalie a capacidade de cada proposta de se adaptar às necessidades da sua organização e de se adaptar às novas circunstâncias

Considere o crescimento futuro e os avanços tecnológicos.

8 – Identifique riscos potenciais associados a cada fornecedor

Analise fatores como estabilidade financeira, resiliência da cadeia de abastecimento e considerações geopolíticas.

Determine os planos de contingência para mitigar riscos.

9 – Avalie a qualidade do relacionamento com cada fornecedor

Observe seu estilo de comunicação, capacidade de resposta e disposição para colaborar.

Relacionamentos e alianças fortes com fornecedores podem levar a melhores resultados a longo prazo.

10 – Considere o compromisso dos fornecedores com ESG

Avalie suas iniciativas e projetos como a compensação de emissão de Co2 e códigos de ética e conduta, diversidade e inclusão.

11 – Inovação e Tecnologia

Avalie o compromisso de cada fornecedor com a inovação e o avanço tecnológico.

Procure conhecer o investimento em pesquisa e desenvolvimento, pois isso pode impactar a longevidade da parceria e a sua competitividade

12 – Análise Financeira

Conduza uma análise financeira de cada fornecedor, incluindo sua estrutura de preços, cost breakdown, condições de pagamento e estabilidade financeira.

Avalie o custo total de propriedade TCO ao longo da duração do contrato – ciclo de vida.

13 – Defina a melhor estratégia para as Negociações

Além do BATNA, ZOPA,LAA, MDO e Goal, analise o CBD e faça o should cost, use os seus leverages, defina os rounds, se vai usar o leilão reverso e qual, se prepare muito bem para essa fase.

14 – Documentação

Mantenha registros completos de todo o processo de avaliação, incluindo notas, pontuações e correspondência com fornecedores e preferencialmente dentro de um sistema com total visibilidade.

Esta documentação é essencial para fins de transparência e auditoria.

15 – Aprovação da decisão final

Busque as aprovações internas necessárias para a tomada de decisão antes de adjudicar o vencedor e assinar o contrato.

Seguindo essas etapas que podem ser ainda mais técnicas, estrategicamente mais profundas e detalhadas, você pode garantir uma comparação com total isonomia e abrangente, levando, em última análise, a uma decisão de compras bem-sucedida e ganha ganha para as duas partes.

Lembre-se esse processo requer sempre uma melhoria contínua e assim você também vai se tornando cada vez mais um expert – um especialista de categorias e strategic sourcing.

CEO at Procurement Garage | leonardo.alexander@procurementgarage.com | + posts

Mais de 30 anos de experiência sendo Head de Suprimentos na AmBev/AB-InBev, P&G (Consumer Goods), B. Braun (Farma) e LATAM Head of Supply Chain Planning & Performance na BP (British Petroleum).

Graduado em comércio exterior, extensão pela Columbia University e MIT ACE Program.

spot_imgspot_img

Receber Newsletter

Artigos Relacionados

Importância do Saneamento de Cadastros de Materiais e Serviços

Importância do Saneamento de Cadastros de Materiais e Serviços Devemos...

Inovação aberta em compras: a importância da colaboração e parcerias estratégicas

Inovação aberta em compras: a importância da colaboração e...

Soft Skills: A Diferença Entre Estagnação e Realização

Soft Skills: A Diferença Entre Estagnação e Realização Eu tenho...

A importância do Compliance em Compras

A importância do Compliance em Compras Antes de iniciar esta...

Os Desafios na Coordenação e Gerenciamento de Equipes de Compras!

Os Desafios na Coordenação e Gerenciamento de Equipes de...
spot_imgspot_img
Leonardo Alexander
Leonardo Alexander
Mais de 30 anos de experiência sendo Head de Suprimentos na AmBev/AB-InBev, P&G (Consumer Goods), B. Braun (Farma) e LATAM Head of Supply Chain Planning & Performance na BP (British Petroleum). Graduado em comércio exterior, extensão pela Columbia University e MIT ACE Program.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui